A Bioeletricidade

Por Deva Nishok

A relevância do toque

     Dentre suas inúmeras funções da pele, uma pouco notória é o seu papel imunológico, de defesa ao organismo. Quando estimulada e tocada, a epiderme produz uma substância química indistinguível do hormônio produzido pela timo, fundamental no bom funcionamento do sistema imunológico e no mecanismo de defesa do nosso corpo. A estimulação pelo toque tem também outro efeito: aumenta o potencial elétrico do corpo.

 

     Esta alteração fisiológica provoca efeitos sobre nossas emoções e também a mente e, em decorrência disso, produz reflexos sobre nosso comportamento e níveis de consciência. Há inúmeras pesquisas comprovando tais alterações fisiológicas e bioquímicas quando nossa pele é intensamente estimulada.

 

A eletricidade no corpo humano
 

     Nosso corpo é composto em grande parte por uma solução salina que se comporta como um bom condutor de eletricidade. É por meio delas que as células do sistema nervoso conduz a energia que faz boa parte de nosso organismo funcionar conectado, a bioeletricidade química. Em cada batimento cardíaco, uma corrente de um ciclo por segundo com a potência elétrica de cerca 1 watt é dissipada. A resistência e a potência elétrica de nossos corpos varia de indivíduo para indivíduo, sendo influenciada por diversos fatores como a condutibilidade específica do corpo e sua constituição orgânica. Energia e matéria se confundem, em certo ponto de vista.

 

     A bioeletricidade e suas características podem ser lidas por meio de diversos aparelhos ou exames (por exemplo: eletrocardiograma, eletroencefalograma). A tensão eletrostática acumulada ao longo de um dia  pode ser medida por um voltímetro eletrostático. A nossa resistência pode ser indicada pelo ohmímetro. Já a condutibilidade elétrica em nossa pele varia de acordo com algumas características: pele seca possui alta resistência, pele úmida baixa resistência. Analogamente ao que ocorre nos condutores ou isolantes elétricos que conhecemos em nosso cotidiano, o corpo humano isola a eletricidade quando a resistência é alta e a conduz mais facilmente quando é baixa.

 

     Uma importante característica de nosso trabalho tântrico é a emoliência e a umidificação dos tecidos. A estimulação orgânica em nosso corpo aumenta em até 30% o percentual de umidade relativa orgânica. Como resultado, são produzidos fenômenos sensoriais muito instigantes, comumente relacionados ao prazer físico e ao orgasmo.