O Método

Por palavras próprias do mestre Deva Nishok

Meu contato com o Tantra iniciou-se em 1996. Desde então, venho pesquisando e desenvolvendo um método que possibilite ao ser humano descobrir sua eletricidade orgânica formativa. Ao longo dos anos, tive a possibilidade de conhecer diferentes práticas que me foram apresentadas como tântricas, mas que eram mais focadas em terapias como por exemplo a Bioenergética, Primal, Pulsation, Encounter, entre outras. Estes grupos que conheci motivavam as pessoas ao sexo livre, mas não modificavam em nada o comportamento e o processo individual de cada um, não dissolviam suas impotências, não eliminavam suas precocidades, sua frieza, sua insensibilidade, suas dificuldades de relacionamento. Pude testemunhar muita indignação nesses grupos; em muitos casos vi os facilitadores agirem com truculência, com rispidez, com abuso de autoridade, com agressividade.

 

Verifico também outras abordagens vinculadas ao Tantra, mais com enfoque terapêutico, que usam a compreensão da análise e da interpretação de fatos, criando argumentos plausíveis para explicar situações de vida como "criança ferida", "sindrome de desaprovação parental", "co-dependencia", e outros processos mais. A metodologia que mais me agradou foi a da desprogramação sistêmica, livre e dissociada dos sistemas de crenças. Verifiquei que não adianta substituir uma crença por outra, ou fornecer uma compreensão hipotética ou abstrata, baseada em conceitos e teorias. Verifiquei que há um mecanismo existencial que desprograma as informações traumáticas do corpo, zerando a contagem de experiências dolorosas. Com o contador zerado, cada um pode reprogramar a sua experiência da forma que desejar, se o desejar fazê-lo.

 

O Tantra não reprograma nada. O Tantra original é transformador, possibilita muitas mudanças comportamentais. O papel do Tantra original é humanizar, resgatar a nossa humanidade, restabelecer nossa dignidade.

 

Pesquisei profundamente as origens do Tantra, bebi diretamente da fonte, sem intermediários, sem a interferência de curiosos ou tendenciosos, adeptos do Yoga, do Taoísmo ou praticantes de magia. Pesquisei trabalhos de Franz Anton Mesmer (1734-1815), estudei Wilhelm Reich (1897-1957), Alexander Lowen (1910-2006) e John C. Pierrakos (1921-2001), adaptei seus princípios e descobertas ao trabalho, de forma livre e dissociada. Para mim, esses autores e experimentadores estavam conectados com a fonte original, de onde o Tantra provém. Experimentei na prática a evolução do método e seus incontestáveis resultados ao longo dos anos.

 

Meu método não deve ser confundido com os métodos convencionais de Massagem Tântrica encontrados no mercado nacional e internacional, pois seus princípios, objetivos e resultados são muito diferentes. Normalmente, estes métodos referem-se a uma prática sensorial suave, acompanhada de aromas agradáveis tidos como estimulantes e afrodisíacos, um ambiente sensual e erótico e, na grande maioria dos casos, com finalizações sexuais. Após algum tempo de manobras com óleos espalhados pelo corpo, é muito comum que as “terapeutas” recorram ao que se convencionou chamar de “liberação” ou “relaxamento” no final do atendimento. Estes são, nada mais, nada menos, que uma banal masturbação oferecida ao cliente. Não há nenhuma transformação ou cura de seus condicionamentos e disfunções sexuais. O cliente continua com os mesmos padrões, as mesmas limitações, as mesmas dificuldades em sua sexualidade.

 

Em meu método, através de manobras especialmente elaboradas, aos poucos, o(a) terapeuta vai “acordando” aspectos sensoriais bioelétricos no corpo do cliente. Estes impulsos elétricos vão sensibilizando músculos e desencadeando uma reação orgástica intensa e prazerosa, de origem neuro-muscular. Estas descargas produzem a sensação orgástica, aquilo que chamamos de “Orgasmos Secos” (sem ejaculação) e “Orgasmos Perenes” (sem declínio após o clímax), tanto nos homens como nas mulheres.

 

As incríveis descargas elétricas se apropriam do corpo ao longo da massagem, e disparam mecanismos que alteram a percepção e produzem um efeito que denominamos de Supraconsciência – um estado alterado de percepção e consciência, um estado profundamente meditativo. A pessoa acessa o seu aspecto divino, sua transcendência, a alegria verdadeira que vem de seu coração, de sua alma.